quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

MESTRE-SALA E PORTA-BANDEIRA

(Foto ilustração: Mestre-Sala Chúla e a Porta-Bandeira Kizzy.)
A história dos casais de mestre-sala e porta-bandeira é até um tanto curiosa. Na época dos Barões de café, em suas fazendas era realizado o entrudo (carnaval típico, vindo de Portugal), como este era tipicamente europeu, a dança era completamente clássica, grandes bailes, com fantasias de época, como pierrôs, alerquins, reis, rainhas e por ai vai... Toda a "casa grande" (nome dado a casa sede da fazenda), tinha um casal de escravos, que acompanhavam toda essa movimentação da festa "dos brancos", claro sem participar, ficavam observando como eles se comportavam.
.
Uma vez por semana voltavam à senzala, e como era carnaval, "negro" também tinha sua manifestação cultural, com tambores e atabaques... Enquanto o resto dos negros sambavam, este casal por sua vez, ficava imitando (por chacota) os barões e baronesas, dançando o minueto francês e mostrando como era o comportamento na casa grande. Com a evolução dos tempos, o entrudo virou cordão, que posteriormente viraria escola de samba.
.
Como a figura do estandarte, sempre houve desde a criação do entrudo, mas era carregado por homens, passou-se as mulheres esta função, recordando as épocas mais antigas resolveram inserir o mestre-sala, para defender o pavilhão, pois dançando poderia impedir que outros tomassem seu estandarte. Uma nota: o mestre-sala dançava, portando nas mãos três instrumentos: lenço, bastão ou leque (e há o caso da espada, mas muito raro de ser visto),esses três instrumentos na verdade eram armas disfarçadas, no lenço, havia um canivete ou faquinha, o bastão era pra bater em alguém, e o leque tinha sua lateral afiada ou uma navalha presa, para caso alguém tentasse encostar na porta-estandarte, não pudesse tomar o símbolo máximo de sua entidade. Ainda hoje, dança-se com tais instrumentos porem não há mais armas e a guardiã do pavilhão é denominada Porta-Bandeira. Hoje o casal, são os "imperadores" de uma quadra (pode-se notar que o carnaval em si é uma corte, com reis momo, rainhas e etc.), os mesmos tinham e têm de dançar de forma diferente dos demais, é um bailado, com suas origens no minueto.
.
A dança consiste, no casal apresentar o seu pavilhão com elegância, sincronia e simpatia, devendo os dois dançar em sentido horário e anti-horário, nunca se chocando, encostando o joelho no chão, "parando" um de costas para o outro e pasmem: sem se falar! Devem permanecer o tempo todo sorrindo ou apenas cantando o samba da escola, se o jurado perceber que o casal está falando, a escola perderá ponto no quesito. A função do Mestre-sala é cortejar a Porta-bandeira durante toda a apresentação, através de gestos e posturas elegantes que demonstrem a reverência a sua dama, respeitando e protegendo o pavilhão. Enquanto isso, cabe a Porta-Bandeira conduzir e apresentar o pavilhão, desfraldando-o em gestos graciosos e reverenciosos. O casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira leva com graça e leveza o pavilhão, fazendo passos marcados e devem sempre apresentar gestos elegantes e desenvoltos. A porta-bandeira deve desfilar com graça e atitude altiva e nobre enquanto o mestre-sala baila com toda sua leveza e elegância.

2 comentários:

samantha disse...

oi! sou gaúcha e este ano fui convidada para ser porta bandeira e meu marido mestre sala.não temos esperiência nenhuma.o tema é sobre amor. estamos cm a coreografia feita e ensaiada mas, tenho uma dúvida. estávamos cm vontade de nos dar um beijinho na boca durante o desfile, ja q o tema é amor. isto é permitido??OBRIGADA DESDE JA!

samantha disse...

oi! sou gaúcha e este ano fui convidada para ser porta bandeira e meu marido mestre sala.não temos esperiência nenhuma.o tema é sobre amor. estamos cm a coreografia feita e ensaiada mas, tenho uma dúvida. estávamos cm vontade de nos dar um beijinho na boca durante o desfile, ja q o tema é amor. isto é permitido??OBRIGADA DESDE JA!